[ Loud #60 ] ( magazine ) - 01.01.2006

São franceses e podem com alguma facilidade vir a conquistar um espaço só seu, num panorama europeu que começa, mais tarde e com menos força, a descobrir e a dedicar-se às tendências mais alternativas da música pesada. Os Year Of No Light - assim se chama o colectivo sediado em Bordéus, França - formaram-se a partir dos Metronome Charisma, uma banda que lançou o primeiro longaduração em 2004 e que viu emprestados vocalista, baterista e baixista, aqui transformado em guitarrista.
Year Of No Light foi a designação que deram a si próprios em 2001, altura em que o quinteto se juntou para começar a tocar sob esta nova perspectiva, tentando a sua forma de ver a música e, provavelmente, tendo como referências nomes como Born Dead Icons, Isis, Explosions In The Sky, Moho ou Lack, alguns daqueles com quem, bem no início da carreira, partilharam os palcos. Em Julho de 2004 - e numa atarefada correria de um para outro palco - conseguiram gravar uma maqueta de oito temas, que acabou por ser lançada pela Radar Swarm Records, a mesma editora que já usavam com os Metronome Charisma. Pierre Anouilh e Jérôme Alban nas guitarras, Julien Perez na voz e teclados, Johan Sebenne no baixo e Bertrand Sebenne na bateria são os senhores que dão luz a este esquema pouco luminoso - mas bem sonoro - que em breve se poderá ouvir no disco de estreia. Foi gravado no mês de Setembro com Serge Morattel [conhecido pela sua asociação aos Knut] e por enquanto aguarda os retoques finais, para que o início do novo ano os coloque nos escaparates.
Lento, pesado, numa sucessão de riffs e tonalidades negras, depressivas, melódicas e, acima de tudo, envolventes, os Year Of No Light têm recebido das melhores críticas por parte da imprensa especializada, pela dualidade que impõem às suas composições - por um lado as tendências mais acessíveis e melódicas, por outro a distorção instrumental e os riffs sem fim nem nexo.